Páginas

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

jeitinho brasileiro




A tragédia em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, mostrou para o mundo algo que os brasileiros já sabiam há tempos: nós só aprendemos quando é tarde demais. E não adianta resmungar, ficar bravinho ou vir com conversas sobre a Constituição isso e os políticos aquilo. Eu sou brasileira e não adianta esconder algo que está na frente de nossos olhos desde sempre, o tal do jeitinho brasileiro não funciona.

Nosso país é conhecido por alegria e irreverência (entre outros que não merecem ser citados aqui), mas além de tudo isso, por nosso modo de improvisar a vida, de colocar água no feijão ou seja lá como chamam, a questão não é essa. Improvisar funciona, não estou dizendo o contrário, há pessoas que ganham a vida improvisando, levando tudo no jeitinho, mas está na hora de abrirmos nossos olhos e aceitarmos de uma vez por todas que um país em pleno desenvolvimento não pode nem consegue sobreviver na base disso. Quantas vidas mais serão perdidas por que o jeitinho não funcionou? Por que molhar a mão do fulano não foi suficiente?

Vi diversas pessoas falando sobre criar uma lei para isso. Lei por quê? O Brasil é um dos países com mais leis, mas também deve ser um dos países que menos as cumpre. É sempre assim, uma pessoa é atropelada e a solução é criar uma lei, uma pipa é enroscada no fio de eletricidade e lá vem mais um projeto de lei. Se a solução pra tudo é criar leis e mais leis, que pelos menos se deem o trabalho de ler a Constituição, algo que deveria ser costume vindo das escolas. Quer cobrar? Cobra, você tem total direito. Porém pense antes de abrir a boca, leia, pesquise, se informe. A solução não está em criar mais leis, será que isso ainda não ficou claro? Se cumpríssemos aos menos noventa por cento do que ditam nossas regras, muita coisa teria sido evitada. Não consigo entender onde é que fica a lógica de improvisar regras e normas que foram feitas para proteger nossas vidas, sinceramente, não dá para compreender um individuo que conhece seus deveres, sabe das consequências de não os cumprir e mesmo assim, vai lá dá um jeitinho.

Será que vamos precisar perder mais duzentos e trinta e oito (até agora) futuros médicos, veterinários, agrônomos, engenheiros, arquitetos, pais, mães, tios, tias, amigos, cidadãos para nos darmos conta que assim o Brasil nunca vai ir para frente? Se formamos uma sociedade onde um depende do outro, por que não seguirmos pelo menos isso? E não adianta reclamar que Estados Unidos, Japão e Rússia são melhores que nós. Claro que eles são, mil vezes até, porque eles ao menos honram suas bandeiras e seguem as leias criadas para os ajudarem a zelar por suas vidas, enquanto nós...nós o quê? Damos um jeitinho.

Eu sei que opiniões se diferem e que cada qual tem seus pensamentos, mas aqui está o desabafo de alguém que realmente sentiu a dor de quem estava lá, porque sabe que o endereço poderia ter sido outro assim como os nomes e os rostos.  

2 comentários:

  1. Realmente Jenn, muito se fala, pouco se faz!
    Querem leis para isso e leis para aquilo e na hora de se cumprir, dão um "jeitinho",uma desviada no modo legal de se fazer as coisas.
    Muitas leis se criam, até mesmo leis que acabam cancelando outras leis. Porém,na hora de se botar em prática é que tudo se perde.
    Até mesmo,por que, certa parte das pessoas que cobram cumprimento de certas leis, descumprem outras dando um jeitinho,fazendo coisa errada! Como dizem "Pimenta nos olhos dos outros é refresco."
    Sempre é bom ver com os teus olhos,como neste texto! Muito bom amiga, visitarei eternamente aqui! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Pe, essa do "Pimenta nos olhos (sempre pensava que eram outra coisa, mas ok, haha) dos outros é refresco." é muito boa, porque é realmente o que acontece na prática, somos todos muito egoístas.
      Mas enfim, obrigada pelos elogios e comentários de sempre, adoro poder conhecer as opiniões alheias e saber que as amigas me apoiam é sempre uma maravilha! <3

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...